19/07/2011

Pensei em mil títulos... Mas não encontrei nenhum.




A razão diz que pode ser melhor assim como está, cada um seguir seu caminho, que tudo se ajeita.
Mas meu coração não sossega.
Ele dói, sangra, grita por ele.
Sei que consigo seguir meu caminho, mas conseguir não é o mesmo que querer.
Gostaria que as coisas fossem diferentes, mais fáceis.
Mas nunca são.
Nunca foram para mim também.
Já tive grandes amores em minha vida e foi muito difícil deixá-los ir e seguir a estrada.
Restou um pouco de cada um em mim, mas eu consegui me reerguer e deixar outras pessoas entrarem em meu coração.
Não queria passar por isso de novo.
Cansa...
Chega uma hora que a gente cansa disso.
E eu só queria poder doar e receber um pouco de amor, de carinho, de paixão, cuidado, respeito, companheirismo e cumplicidade.
Sei que tenho minhas inseguranças, mas tento lidar com elas. É difícil.. Elas surgem sem que eu perceba.
Não é culpa minha.
Nem tampouco dele.
É da vida.
Nunca gostei dessa coisa de "pegação", de ficar por ficar, etc.
Eu gosto de ter alguem pra cuidar e que cuide de mim, pra me preocupar, pra dar e receber carinhos e afagos, dormir junto,
conversar sobre o dia, desabafar, chorar sem vergonha, rir até doer a barriga, comer besteiras, ouvir um boa noite e ser acordada
com um bom dia e sorrir por saber que alguém estava pensando em mim.
Não gosto de ser sozinha, embora estar com alguém não significa que não me sinta sozinha as vezes.
Tenho meus problemas e minhas crises, e as vezes me sinto assim mesmo.
Como se ninguém no mundo pudesse me entender.
E as vezes eu necessito ficar mesmo sozinha.
E outras, tudo o que mais quero é um colo. Mesmo que não diga nada... Apenas um colo, o calor.
Tendo a certeza de que tem alguém ali comigo, que posso contar.
Que me estenderá a mão, mesmo não me entendendo.
Me escutará, mesmo não concordando comigo.
E me fará rir...
Pois é a melhor coisa que poderá fazer naquele momento.
Não tenho nenhuma resposta mas sou cheia de perguntas.
Não sou senhora da razão.
Também tenho meus defeitos e tento ser melhor.
Tenho muito amor dentro de mim para dar...
Não posso guardá-lo para sempre dentro de mim.

Mas se as coisas realmente continuarem como estão agora, neste momento, fecharei para balanço.
Vou sumir, me afastar de certas coisas e pessoas, me dedicar a outras coisas que demandam maior atenção de mim, dar uma geral na vida.

Talvez essa Raisa que ele conheceu não apareça para outros.
Pois com ele fui realmente EU.
Sem máscara, sem escudos ou armaduras.
E talvez tenha sido aí o erro.
Então visto novamente minhas armaduras.
Até que um dia possa novamente mostrar a alguém todas as minhas cicatrizes.
E sentirei orgulho delas.

Temos de ver todas as cicatrizes como algo belo. Combinado? Este vai ser o nosso segredo. Porque, acredite em mim, uma cicatriz não se forma num morto. Uma cicatriz significa: “Eu sobrevivi”.

Caio Fernando Abreu
_______________
Ja sinto tanto a sua falta...

3 comentários:

Andressa disse...

dorzinha em ler esse texto. :/

Helcio Maia disse...

É, minha amiga, toda partida faz sangrar, pois deixa as vaias abertas. Mas abrace sua capacidade de amar, não deixe que ela escape. Isso faz e fará toda a diferença, pois as surpresas (boas) estão à espreita, de tocaia, à espera de um sorriso cúmplice, de um colo que queira colo, de um coração cheinho de afetos compartilháveis.
Sugestão de título: Cicatriz...por um triz
Abraço carinhoso.

Helcio Maia disse...

corrigindo a digitação: ...veias abertas...