23/09/2009

O Desejo




O Desejo é nosso combustível para viver.
É fonte incessante.
Desde o nosso nascimento entramos em contato com esse, digamos assim, sentimento.
O desejo entre mãe e filho. O cuidado, carinho, atenção e dedicação da mãe direcionados àquele pequeno ser.
Desde aí começamos a perceber (principalmente através da amamentação) que nosso corpo não tem tudo o que queremos ou precisamos e por isso vamos atrás.
Se fossemos totalmente felizes, realizados, plenos e nossos desejos tivessem sido saciados e não houvesse mais nada a desejar, não haveria nem a necessidade de nos mover.
Essa sensação de “falta” é o que nos impulsiona a buscarmos a satisfação dos nossos desejos e vontades.
O desejo é sempre do outro. É o outro que nos ensina a desejar.
Seu olhar reflete o que somos.
Muitas vezes nos vendemos barato demais para tentar suprir essa falta, preencher este vazio.
Como o desejo é incessante, logo que se realiza um, vêm outros.
Quando alcançamos a realização do nosso desejo – ao menos em parte, - passamos a ser responsáveis por ele.
Devemos buscar entender o que queremos de nós mesmos.
Mas como isso é difícil, acabamos nos embaralhando.
Dizem que devemos ter cuidado com nossos desejos, pois eles podem se realizar.
Há certos desejos que reprimimos, condenamos. Mas eles continuam ali, em algum lugar dentro de nós.
Precisamos saber o que queremos realmente.
Por isso fica aí a pergunta:
“Você realmente quer aquilo que deseja?”

Beijos!

4 comentários:

Marcos disse...

O desejo é fonte incessante..
Gostei disso!
Belo texto..
Beijos, linda!

KenshinMau Shinmakoto disse...

Outro dia tentei postar mas não consegui, estou indo trabalhar, não comentarei completamente agora mas...

Adorei seu texto, rebuscado e para mim foi intrigante! emocionante!

Não sabe como me agrada ler toda ver que você cria uma postagem nova =].

Bjos e uma ótima semana!

Mariana disse...

gostei do texto :)bj

Luciana Klopper disse...

Que delicia de texto, falou com maestria...podiamos unir os nossos textos..rsrsr
bjs