25/02/2010

E a pessoa [In]comum é assim..





"Só pode falar bem sobre si mesmo quem se dedica tempo útil, de qualidade, a fim de questionar suas verdades, as verdades do meio onde vive e o autoconhecimento fruto dessa pesquisa sincera.
Mas isso nem de longe costuma ser a prioridade das massas…
Falar de si mesmo é uma das maiores dificuldades do ser humano.
Perceber suas qualidades e aceitar seus defeitos é algo que requer autoconhecimento, aprofundar-se em seu eu, conhecer seu interior..
Ficar cara a cara com seus sentimentos e desejos mais sombrios, que ficam ocultos a nossa percepção.
Sair desta casca que vestimos diante da sociedade e encontrar nosso íntimo, nosso “bicho”.
A maioria das pessoas prefere não conhecer a si mesma temendo não conseguir se controlar ou até mesmo se decepcionar com o que encontrar...
Mas conhecer a si mesmo é algo que nos eleva, nos faz progredir, crescer.
Falar dos defeitos dos outros é fácil.. Mas reconhecer os seus próprios defeitos é algo que incomoda. Mas ao mesmo tempo em que ficamos incomodados, temos a possibilidade de transformação.
Mudar é essencial...É inevitável.
Aos poucos você vai deixando de escutar certas músicas, de usar certas roupas, de falar com certas pessoas. Mudar faz parte do ciclo da vida, embora a essência seja sempre a mesma.
Mudar é evoluir. Deixar de lado certos valores que já não nos servem mais e adquirir outros valores, outras idéias...
Não posso falar de mim mesma com afinco, pois se hoje sou o que sou, amanhã posso ser outra...
Ou posso simplesmente “SER”.
SER no mundo...
Dizer que sou eu mesma? Não sei... Simplesmente sou...
Não me conheço completamente.
Conheço parte de mim. E quando acho que me conheço mais, mudo.
Estou em constante mudança. Mudança interior.
A cada coisa nova que conheço, mudo algo em mim. Tudo tem algo a nos acrescentar.
As pessoas, as decepções, os elogios, o conhecimento e cada experiência vivida trazem algo diferente para dentro de nós.
Procuro extrair disso tudo o que me serve, o que me é necessário.
O resto? Jogo fora...
“Muitas pessoas devem a grandeza de suas vidas aos problemas que tiveram que vencer.”(B.P)
Não me importo com o que dizem ou pensam de mim.
Desde que tenha passado algum tempo ao meu lado.
Falar de alguém que não se conhece é um pré-conceito.
Dizem que quando falamos do outro, falamos o que vemos de nosso neste outro.
Quando se fala olhando nos olhos, podemos perceber que na verdade falamos a nós mesmos, pois nos vemos refletidos nos olhos do outro. Por isso, o julgamento antecipado é tão injusto.
Conheça a si mesmo para depois conhecer alguém.
Não nos completamos. Completamos um outro alguém.
E antes de amar um pessoa, ame a si mesmo. Se aceite, para então ser aceito."


Esse texto foi escrito há um tempo atrás, no início deste blog.
Como podem ver, é uma reflexão sobre quem sou, e nossa eterna busca por saber "quem somos".
Resolvi postar ele novamente, pois é um dos meus preferidos.
Acho que pouquíssimas pessoas já leram.
Espero que sirva para vocês também refletirem um pouco...

ps: novidade! fiz outro exame de direção hoje e.... PASSEI! :)


BeijOs!

21/02/2010

À você, coração.




"Por que será que o coração gosta tanto de pregar peças?
Gosta de ser teimoso, gosta de perigo, de emoção, das coisas "mais erradas"?
Ah, coração! Esteve tão bonzinho por tanto tempo!
Consegui de certa forma ter um controle sobre você!
Mas rebelde como é, tinha que mostrar as garras, né?
Mostrar que tem asas...
É como um adolescente que odeia limites e tem sede por liberdade.
Sede de adrenalina...
É... Pois agora você achou a sua adrenalina.
Um amor antigo mal-resolvido.
Um alguém totalmente diferente do que sou hoje, mas que tem tudo o que um dia fui e que me faz voltar a ser aquela de antes quando está por perto.
Mas este é o problema. Não está por perto.
E então, resurge quase que das cinzas (rs!) aquele outro alguém.
Sim, aquele!
O amor platônico de adolescente, que foi realizado, mas nem tanto.
Uma história também um pouco mal-resolvida e muito complicada.
Um alguém que te fez sofrer, te fez chorar, te fez sangrar, mas nunca odiar.
Aquele que você chegou a pensar ser o amor da sua vida. Logo você, que não acredita em único amor...
E ele que te fez tanto mal ao mesmo tempo que te fez tanto bem, aparece para colocar você num turbilhão de sentimentos, de incertezas.
E você não sabe dizer não. Nunca soube. Pelo menos não pra ele.

Um totalmente diferente do outro.

Sentimentos parecidos e diferentes se misturando.
E você aí, sem saber o que fazer.
Se ouvisse sua dona, não estaria passando por isso.
Mas quem mandou ser tão inconsequente!
Agora é esperar para ver no que vai dar...
Como sempre, o tempo vem para resolver tudo.
Vamos deixar acontecer.

Talvez não seja nem um e nem outro.
E você se aquiete novamente.

Quem saberá?"




"A distância maior que existe é aquela entre a cabeça e o coração.
Os meus na verdade não são nem amigos."



(isto foi escrito há alguns dias...mas não deu pra postar antes.)


BeijO carinhoso..

17/02/2010

Todo carnaval tem seu fim....




O que você fez de bom no seu carnaval?
Bom... Fui pra Itabirito com amigos de Barão de Cocais e na segunda-feira passei a tarde em Ouro Preto.
Itabirito tem seus trios elétricos que nos fazem andaaaar e andaaaar bastaante!
Ouro preto tem suas ladeiras...! Seu carnaval de rua...
Gente! Muita gente.. Muito sol, muito calor.
Muita badalação. Muita curtição.
E eu ali naquele meio.

Parei um tempo pra observar as pessoas.
Casais... Um quê de paixão no ar.
Pegação.

Grupos. Tribos.
Amigos.

Sorrisos.

Todas as idades.
Crianças, jovens, adultos, e sim, os idosos!
Idosos? Não!
Jovens com uma grande experiência!

Mas não é só isso que eu vi.
Eu vi também as pessoas que estavam lá, trabalhando.
Suando para conseguir seu dinheirinho.

Observei os catadores de lata.
Gente que muitas vezes sobrevive somente com o dinheiro que ganha com este trabalho.
Comecei a olhar como eram tratados.
As pessoas simplesmente jogavam as latinhas de bebida em qualquer lugar.
Sem a mínima educação.
Às vezes com uma lixeira ao lado, ou com um catador por perto.
Eu fazia diferente. Sugurava minha latinha até encontrar um lugar adequado para ela, ou alguém que tivesse o destino certo pra elas (os catadores, portanto). Para esses, eu entregava em suas mãos. As minhas e as que encontrava por perto.
Isso não me custava nada. E eu recebia de volta um sorriso e um "Muito obriagada!"
E apenas sorria também...Com um sonoro: "Não há de quê...!"
Mas pensava comigo: - país injusto! E nosso presidente lamentando a prisão de um ladrão daqueles! Enquanto isso, a nossa realidade é essa aqui...

Olhando mais um pouco, vi crianças brincando.
Fantasiadas!
Fadinhas, bailarinas, super-homens...
Correndo, dançando, soltando bolhas de sabão... Envoltos em sua inocência.
Alheios ao mundo.
Que saudade desta inocência!
Que vontade de fazer parar o tempo para que elas não a percam!

E então no meio de tantas pessoas diferentes e ao mesmo tempo tão parecidas,
eis que visualizo um homem barbudo, com a pele queimada de sol...Trajava uma blusa de frio verde (apesar do sol escaldante) e calça preta e outra blusa mal-amarrada na cintura. Um óculos quebrado com apenas uma lente "protegendo" os olhos do sol. Ou tentando, né?
Um morador de rua.
Dançando distraído entre os transeuntes.
As pessoas o olhavam com olhar de nojo, de superioridade, e se afastavam logo.
Outras, simplesmente o ignoravam. Era como se ele não existisse.
Parou um tempo perto de nós.
Ficou nos analisando.
Não disse nada. Também não dissemos. Apenas o olhamos como ele nos olhou.
Nos olhos.
Antes que ele saísse, ofereci um cigarro e acendi para ele.
Ele deu um sorriso e agradeceu. Saiu feliz, risonho, dançando.
Naquele momento era o que ele queria, o que ele precisava.
Claro que ele precisa de muito mais, mas o pouco que doamos a ele, o deixou feliz.
E isso me fez feliz, me deu uma sensação de ter tocado um pouco na vida dele, por ter doado de mim, um pouco a mais do que ele recebe. Não digo somente do cigarro, mas da atenção.




Continuei observando-o.
Tempo depois, ele se sentou próximo a um grupo de crianças que brincavam com tampinhas de garrafa pet. Brincavam alegres, dispersas.
E ele ali, admirado. Olhos brilhantes.
Sorriso amarelo e grande.

Não era olhar de desejo. Não era olhar de maldade.
Era um olhar de inoscência.

Aquilo me doeu por dentro ao mesmo tempo que me fez sorrir.

Achei lindo.

Outra coisa que sempre observo: você agradece/cumprimenta as pessoas?
Você anda de ônibus, passa por porteiros, ascensoristas de elevadores, garis, vendedores, cozinheiras, garçons, caixas, motoristas, taxistas, bancários, etc.. etc.. etc...
Quantas vezes você olha nos olhos destas pessoas e dirige a elas um bom dia/boa tarde/boa noite? E um muito obrigado (a)?

Pode parecer pouca coisa, mas saiba que não é.
Já senti na pele quando trabalhei em uma loja.
Receber um "boa tarde" que vem acompanhado de um sorriso, alivia tensão.
Traz boas energias.
Quebra o gelo.
Aproxima as pessoas.
E quando se é retribuído, o mesmo acontece a quem o enviou.
É uma troca. Não nos custa nada e ganhamos muito.
Mostra que ninguém é diferente de ninguém.
Somos todos iguais.

Educação nunca é demais.

E por mais que você pense que o que você faz é pouco, não se esqueça que
"O bater de asas de uma borboleta pode provocar uma tsunami."





BeijOs!
__________________________________________________________________________

"...Toda banda tem um tarol, quem sabe eu não toco?
Todo samba tem um refrão pra levantar o bloco
Toda escolha é feita por quem acorda já deitado
Toda folha elege um alguém que mora logo ao lado
E pinta o estandarte de azul
E põe suas estrelas no azul

Pra que mudar?
Deixa eu brincar de ser feliz, deixa eu pintar o meu nariz !"


[Todo carnaval tem seu fim - Los hermanos]

11/02/2010

Folia!



Olá, queridos!

Primeiro, muuito obrigada pelas felicitações!
Adorei as palavras de carinho!

Foi sim um dia especial e ganhei muuitos abraços..

Abraço é tão bom, né?
É uma coisa que não custa nada e que faz um bem tão grande!
"E no silêncio de um abraço, o tempo pára e os pensamentos se cruzam, nenhuma palavra dita, dois corações em paz."


Mas então...
Carnaval taí, né?
Que delícia!
Há tempos não curto o carnaval..
Desta vez também não ia pra canto nenhum, mas um amigo me chamou pra viajar com ele.
Insistiu tanto que não pude recusar.
Pensei: "Quer saber? A vida é curta demais... Vou aproveitar enquanto eu posso. Aproveitar enquanto estou viva e tenho saúde...Depois não adianta, né?"
Vou para a cidade em que ele mora (Barão de Cocais) e de lá nós e mais uma turma provavelmente iremos para Itabirito. Se não, talvez iremos para o Caraça.
De qualquer forma, só de sair da rotina já está valendo.
Estou precisando dar um tempinho.

O coração não anda muito bem... Tá precisando se distrair.

Mas e vocês, o que vão aprontar no carnaval?

Pra quem não vai pra litoral, Minas tem muuuuito lugar bacana, tá?

_______________________________________________________________________________

RECOMENDAÇÕES PARA UM BOM CARNAVAL

Em primeiro lugar, cuidado nas estradas né gente?
Pressa pra chegar pode fazer com que nem chegue.

Aproveitem bastaaaante, mas não se esqueçam de se alimentar bem e se hidratar.
Uma cervejinha é muito bom. Mas água é essencial.

Façam o possível para dormir bem.

Usem protetor solar e roupas confortáveis.

Não exagerem no álcool e muito cuidado com o que "estranhos" oferecerem.

Saibam respeitar seus limites.

Usem camisinhaaa! Sexo é muito bom, mas não se pode esquecer de suas consequências quando não é praticado com segurança.

Respeitem as outras pessoas e "se dêem" o respeito.

Se for para perto da natureza, não se esqueçam de respeitá-la também.

Enfim, são coisas básicas e fáceis de se seguir, não?

Tudo para que o carnaval seja um feriado de alegrias e que se possa guardar boas lembranças.

"Eu não quero mais chorar
Por causa de um amor qualquer
Minha dor tem que acabar
No carnaval se Deus quiser..." [Gilberto Gil]


_______________________________________________________________________________

Quanto ao meu coração, sei que vai ser difícil ele ficar bem. Vai levar tempo.
Mas ao menos posso distraí-lo. Posso "enganá-lo" por uns dias.
E ele vai me dar uma folguinha...
Assim espero.

"Ah, quem dera eu pudesse arrancar o coração do meu peito e atirá-lo na correnteza, e então não haveria mais dor, nem saudade, nem lembranças."

09/02/2010

É 9 de fevereiro!



Hoje é Dia do Frevo,
Dia de Kuan Yin, grande deusa do oriente, segundo a mitologia chinesa, protetora das mulheres.
Dia de São Miguel de Febres Cordero e São Donato.
Dia do Zelador.

Duas das coisas mais interessantes que aconteceram nesta data eu resolvi destacar:
1986 - Aparição do Cometa Halley.
1994 - Nelson Mandela torna-se o 1º presidente negro da África do Sul.


Hoje é meu dia!
(E dia de muitas outras pessoas, é claro.)

Pois é, hoje, mais precisamente às 7:20 da manhã, completei mais um ano de vida.
Para quem não sabe, são vinte anos de idade, mas sinceramente, de experiência, de cabeça, de vivências, tem mais um pouquinho. (rs!)
Nestes 20 anos vivi muitas coisas boas e muita, mas muita coisa ruim.
Coisas que me fizeram amadurescer.
Que me fizeram quem sou e quem serei.
Agradeço por tudo isso. Foram experiências válidas.
Nestes 20 anos conheci pessoas incríveis que acrescentaram muito ao meu ser.
Fui feliz muitas vezes.
Fiz feliz muitas pessoas, acredito eu.
Mudei diversas vezes.
Mudei muito mesmo! Sempre para o meu melhor.

Aniversário para muita gente é coisa sagrada, né?
É dia de fazer aqueeela festa!
Nunca fui disso.
Tive poucas festas de aniversário.
Mesmo de quando criança, lembro de poucas.
Não tive aquela festa tradicional dos 15 anos também.
Mas não sofri por isso.
Também não me importo em ganhar ou não ganhar presentes.
Nunca fui materialista.
Talvez pela criação que tive, por não ter tido tudo que queria, por ter recebido muitos nãos.
Aprendi com isso. Dou valor a coisas mais importantes.
Me basta saber que as pessoas lembraram de mim.
Aquelas que realmente se importam comigo, que sempre me procuram para me dar um abraço apertado e um beijo carinhoso ou ao menos me ligam para dizer que se lembraram.
Se for possível, vamos sim “tomar umas” para bebemorar, pois ninguém é de ferro! Haha..

O dia do meu aniversário para mim é quase como o dia de “ano novo”.
Tem basicamente o mesmo significado.
É um novo ano que se inicia em minha vida.
Farei o possível para que seja bem melhor que os anteriores.
Como sempre digo, só depende de mim.

Hoje é também um dia em que me sinto um pouco nostálgica.
Há muitas pessoas que gostaria de ter ao meu lado e que infelizmente não é possível.
Alguns por causa da distância. Outros porque não se encontram mais aqui.
Isso faz com que eu me sinta um pouco impotente.
Busco então ficar juntinho dos que estão por perto.
A saudade não acaba, mas é amenizada.
Ao menos me distraio...

O que mais gosto de fazer num dia como hoje?
Sorrir.
Dar gargalhadas.
Dar e receber abraços.
Esquecer dos problemas.
Encontrar os amigos e os amores.
E lembrar que a vida vale a pena...


"Cada idade tem os seus humores, os seus gostos e os seus prazeres.
E, como a nossa pele, embranquece os nossos desejos."


[Mathurin Régnier]


BeeijOs, meus amores!
E obrigada por fazerem parte da minha história e das minhas memórias!

07/02/2010

Escolhas de uma Vida!




Olá, meus amores!

Para hoje, escolhi um texto do Bial que eu adorei.
Tem tudo a ver comigo. Na verdade, com todos nós, eu acho.
Espero que vocês gostem.
É ótimo para iniciar uma semana!

Ps: esqueci de comentar. Consegui resolver o meu "pepino" com o INSS. Tá vendo? Quando a gente luta pelos nossos direitos a coisa anda. Se ficamos calados eles aproveitam. "Conversei" com o gerente após umas 2h de espera na quarta-feira (ele estava em horário de almoço e depois ficou uma meia hora "ocupado"), ele me pediu alguns documentos comprovando os tratamentos que estive fazendo neste período todo que fiquei aguardando a perícia, e me mandou retornar na quinta pra resolver meu caso. Retornei, claro. Com todos os documentos e até os exames. Ele olhou tudo e remarcou a perícia para dia 08/02 segunda-feira. Ainda me pediu para que eu o procurasse depois para que contasse como foi a perícia. E desejou sorte.. pff! haha!
Quinta foi tenso.. Aula.. Inss... E consulta com meu médico em Bh. Minha consulta era às 18:30. Fui atendida às 21h. Mas só fui pro consultório umas 20h e pouco mesmo.. Já conheço o sistema. (rs!) Médico competente e solicitado como ele é assim mesmo. Consulta com ele dura mais ou menos 1h. Às vezes mais. Ele aumentou meu remédio. Imaginem como fiquei "grog" na sexta de manhã na primeira aula? Completamente viajando! kkkkkk! Mas espero que surta efeito! Estes dias a coluna tem me dado trabalho! As dores estão intensas... Companheiras fiéis! Não me largam um só dia.
Mudando de assunto, essa semana é meu aniversário. Terça-feira. Farei um post especial pra falar sobre como me sinto quanto a isso.
Por hoje é só.

Me desejem sorte para amanhã. Sorte e paciência!
Fiquem com o belo texto do Bial...



Escolhas de uma vida

A certa altura do filme Crimes e Pecados, o personagem interpretado por Woody Allen diz:

"- Nós somos a soma das nossas decisões".

Essa frase acomodou-se na minha massa cinzenta e de lá nunca mais saiu. Compartilho do ceticismo de Allen: a gente é o que a gente escolhe ser, o destino pouco tem a ver com isso.

Desde pequenos aprendemos que, ao fazer uma opção,estamos descartando outra, e de opção em opção vamos tecendo essa teia que se convencionou chamar "minha vida".

Não é tarefa fácil. No momento em que se escolhe ser médico, se está abrindo mão de ser piloto de avião. Ao optar pela vida de atriz, será quase impossível conciliar com a arquitetura. No amor, a mesma coisa: namora-se um, outro, e mais outro, num excitante vai-vém de romances. Até que chega um momento em que é preciso decidir entre passar o resto da vida sem compromisso formal com alguém, apenas vivenciando amores e deixando-os ir embora quando se findam, ou casar, e através do casamento fundar uma microempresa, com direito a casa própria, orçamento doméstico e responsabilidades.

As duas opções têm seus prós e contras: viver sem laços e viver com laços...

Escolha: beber até cair ou virar vegetariano e budista?
Todas as alternativas são válidas, mas há um preço a pagar por elas.

Quem dera pudéssemos ser uma pessoa diferente a cada 6 meses,
ser casados de segunda a sexta e solteiros nos finais de semana,
ter filhos quando se está bem-disposto e não tê-los quando se está cansado.
Por isso é tão importante o auto conhecimento.
Por isso é necessário ler muito, ouvir os outros, estagiar em várias tribos, prestar atenção ao que acontece em volta e não cultivar preconceitos.
Nossas escolhas não podem ser apenas intuitivas, elas têm que refletir o que a gente é.
Lógico que se deve reavaliar decisões e trocar de caminho: Ninguém é o mesmo para sempre.

Mas que essas mudanças de rota venham para acrescentar, e não para anular a vivência do caminho anteriormente percorrido.
A estrada é longa e o tempo é curto.
Não deixe de fazer nada que queira, mas tenha responsabilidade e maturidade para arcar com as conseqüências destas ações.

Lembrem-se: suas escolhas têm 50% de chance de darem certo, mas também 50% de chance de darem errado.

A escolha é sua...!

[Pedro Bial]



Ótima semana para todos!

04/02/2010

Reflexões...



Estava pensando como me faz bem ter este espaço aqui.
E fico ainda mais feliz quando vejo que ele também é bom para outras pessoas.
Estava conversando dia desses com uma leitora daqui do blog.
A Helena de Recife.
A gente começou a conversar no msn e ela me perguntou como escrevo "coisas tão lindas".
haha..
Como falei para ela, fiz e faço deste espaço um lugar onde posso falar dos meus sentimentos,
dos meus pensamentos, das minhas opiniões, da forma como saem.
Não tenho muita facilidade para FALAR dos meus sentimentos como tenho para escrever.
Isso acontece desde sempre.
Talvez por tanta coisa que aconteceu em minha vida, acabei me fechando e guardando muito o que sentia.
Para expressar, escrevia. Tenho agendas antigas que as vezes pego e encontro páginas com coisas que escrevi em momentos
que me sentia sozinha, triste, e que não conseguia dizer para ninguém.
Então dizia para mim mesma. Desabafava em folhas de agendas, de cadernos... E molhando meu travesseiro com minhas lágrimas.
Claro que sempre tive aquela amiga com quem eu conversava e falava muita coisa, mas nunca consegui botar "tudo" pra fora com palavras
saindo pela boca.
Recomendei esta forma de desabafo para muitas pessoas também.
É bom porque depois você lê, vê como estava antes, como está agora, o que pode fazer a respeito, o que precisa mudar.
Começa a se conhecer mais.
Já dei risadas também com as coisas que escrevi.
Pensando em como eu era boba, em como eu estava "cega" naquele momento e como amaduresci.
Já pra dar minha opinião, sou ótima! haha! Falo, discuto, defendo. (rs!)

Eu e Helena conversamos também sobre relacionamentos.
E falei pra ela uma coisa que já falei aqui.
Nunca acreditei que exista um único amor em nossas vidas.
Pode ser que exista aquele grande amor que te fez cometer loucuras!
Tem também o primeiro amor, né? O inesquecível primeiro amor...
Mas acho que somos capazes de amar mais de uma pessoa.
Amores diferentes. Não acho nem que seja um "maior" que outro, mas apenas diferentes.
Uns nos tocam mais, pois mesmo depois que tudo acaba, parece que o sentimento permanece.
Já vivi alguns amores. Outros foram ilusão.
Um ou outro ficou mal-resolvido.
Já aconteceu também de eu achar que o cara era o "amor da minha vida". Teve um caso de um amor que estava mal-resolvido,
um namoro que tinha terminado de uma maneira estranha, portanto, sem término.
Por muito tempo pensei que o amor ainda estava lá.
Jurei pra mim mesma que eu viveria aquela história e ela não ficaria sem um final.
O reencontro aconteceu depois de uns anos e não foi como eu pensava.
O sentimento havia ficado apenas na lembrança. Não era mais como antes. Agora o que era amor havia virado carinho somente.
Foi bom porque pude me sentir livre pra viver "outros amores" e aquela história não havia ficado sem final.
Tem também um caso mal-resovido com um ex que não mora perto de mim. Nosso caso foi complicado, e ficou realmente sem um final.
Depois de 5 anos nos reencontramos e com ele o sentimento é o mesmo. Havia ficado adormecido e acordou, reacendeu.
Com ele me sinto como aquela Rah de 5 anos atrás. E tenho tantas boas lembranças! E um arrependimento de coisas que deixei de fazer
naquela época.. Do meu medo de tentar. Do que deixei pra trás por causa desse medo.
Mas ainda não podemos "viver nossa história". E isso é triste. Mesmo assim, é bom saber que o sentimento ainda vive em mim
e nele. E que um dia iremos viver essa história de verdade como não fizemos há anos atrás.

Deixei muita coisa na minha vida passar por medo de tentar. Medo de fracassar.
Com o tempo e com os "tapas na cara" que levei, fui aprendendo.
Hoje prefiro me arrepender do que fiz. Prefiro sofrer com uma decisão tomada, com um passo dado, do que deixar de viver,
do que ficar parada na porta vendo a vida passar.
Afinal, a vida passa depressa demais.
Não dá pra viver de "SEs".
Tem uma frase em uma agenda antiga que se encaixa perfeitamente aqui:
"Não faça de sua vida um rascunho, pois depois pode não dar tempo de passar a limpo."

E é isso mesmo. Não podemos deixar de viver as coisas que nos fazem bem, que nos fazem felizes por causa de um medo que nos puxa para trás, um medo de fracassar, de errar.
Errar todo ser humano erra, e ainda bem! Se fossemos todos perfeitos a vida não teria a menos graça!

Chorar a gente chora. Quebrar a cara a gente quebra. Cair, caímos também. É inevitável.
Mas é assim que crescemos, aprendemos, que amadurescemos, e que nos tornamos GENTE.

E por mais que possamos sofrer, ao olharmos para trás vemos que houveram bons momentos.
Que o sofrimento não foi em vão.
Valeu a pena, mesmo que por "pouco tempo".

BeijO carinhoso a todos e um beijo especial pra Helena!

Que você dê o 1º passo no seu caminho... E lembre-se, que há sempre um ponto de ônibus perto de onde você está.
Se o caminho não tá bom o bastante, pega o ônibus! Muda a rota.
Só você pode fazer algo por você mesma.
E mais uma coisinha: Ame-se acima de TUDO!
O amor-próprio é o único amor que só você pode se dar e ninguém pode roubar de você.

01/02/2010

Isso já é sacanagem!




Tem certas coisas que me deixam completamente revoltada...
Falta de respeito com o cidadão por exemplo é uma delas.
Estou de licença do trabalho por causa do meu "probleminha" de coluna desde maio do ano passado.
Minha licença venceu no dia 31 de outubro e o pedido de prorrogação foi feito no dia 22 de outubro.
A perícia foi então marcada para 22 de novembro, mas não foi realizada pois aqui em Betim era feriado do dia da "Consciência Negra" e o Inss resolveu parar também.
Remarcaram para 7 de dezembro.
No dia remarcado, estava eu lá, com minha "mala" de exames para fazer a tal perícia.
Porém, como sou muito sortuda, o sistema estava "fora do ar" e a perícia não pode ser realizada. Eles apenas anotaram meu nome e telefone e disseram que entrariam em contato para remarcar.
Não, não fizeram isso.
Tive que ir até a agência para remarcar.
O sistema voltou a funcionar no início de janeiro então fui lá no dia 4 ou 5, não me lembro muito bem.
Após uma looooonga espera, fui atendida.
Tive que dar risadas pra não chorar.
Remarcaram para dia 15 de fevereiro.
Portanto, eu só receberia em Março. (estou sem receber desde novembro!)
Eu já imaginava, mas, tinha alguma esperança de que eles fossem fazer diferente do que eu estava imaginando.
Pra quem não se lembra, dia 15 de fevereiro é segunda-feira em pleno carnaval.

Pois é...
Hoje me ligaram para me informar que a agência do Inss daqui não funcionará neste dia.
Remarcaram novamente.

Agora para 26 de MARÇO!

Meu Deus!
Haja falta de respeito!

Eu não posso voltar a trabalhar porque ainda tem um pedido de licença para ser aprovado (ou não).
Não estou recebendo nem da empresa e nem do Inss!

As contas vão acumulando e eles simplesmente dizem que não podem fazer nada por nós.
É uma total falta de respeito.

O governo na hora de cobrar nossos impostos age direitinho, no dia certinho, sabe cobrar muito bem.

Mas na hora de garantir nossos direitos, nada!

Liguei na central (135) para registrar uma reclamação. A "ouvidoria" está temporariamente inoperante.

pff!

Já conversei com meu pai que é advogado, ele me aconselhou a procurar o administrador da agência e tentar resolver com ele primeiro.
Tentar remarcar para uma cidade vizinha, como BH.

Se não for possível resolver, procurarei um policial para registrar um Boletim de Ocorrência.

E então, entrarei com uma ação contra o Inss.

Sei que muitas vezes a justiça é lenta e uma coisa dessas pode levar tempo.
Mas não abro mão dos meus direitos.
Vou dar o meu "grito".

Acho uma sacanagem o que eles fazem conosco.

Estou estressadíssima hoje.
O dia tinha começado bem, com o retorno à facul, o reencontro com os amigos e colegas, e tal..

Mas isso acabou com o meu dia.

Este não seria o post de hoje, mas amanhã posto outra coisa.

Precisava desabafar um pouco.

BeijOs