29/04/2010

Frágil



Dizem que nunca estamos plenamente felizes (eu mesma já disse isso aqui no blog tb).
Se algo vai bem em um "setor", em outro parece um caos.
Sempre falta alguma coisa.
Aquela falta, aquele vazio que nos move.
Mas sinceramente falando, ultimamente tenho tido dificuldade em identificar o setor que está realmente bem.
E tenho até medo de descobri-lo e as coisas piorarem.
Tento sempre ver as coisas por outro ângulo, pensar que tudo isso vai passar, e então surge algo para me jogar para baixo.
As vezes tenho vontade de desistir de tudo.
Mas sei que fugir dos problemas não os resolve.
E que não posso ser tão "egocêntrica" assim.
Além do mais, é na dificuldade, na provação que mais se aprende. Se evolui.
É superando limites "insuperáveis"...
Ultrapassando obstáculos.
Caindo e aprendendo a se levantar.
Mesmo com as feridas da queda..

Ando enfrentando muitas destas "provações", e não estou muito bem..
Com a minha dificuldade de dividir minhas dores, elas ficam maiores.
O tombo sempre parece maior.
E sempre que pareço me recuperar de uma queda, tropeço em outra pedra.
Nem sempre tem alguém por perto para me ajudar a me levantar.
Quando resolvo dividir um pouquinho das minhas dores com pessoas próximas, a maioria delas não me entende.
Talvez pela forma de me expressar, por eu não conseguir extravazar tanto...
Ou por não entenderem porque não sentem ou não sentiram o que sinto.
Mas talvez tenha que ser assim.
Talvez a cruz não seja tão pesada afinal...
Talvez eu tenha mesmo que carregá-la sozinha. (Não é verdade que Ele nunca nos dá uma cruz que não podemos carregar?).
Talvez as coisas estejam melhores no final das contas...



“Frágil – você tem tanta vontade de chorar, tanta vontade de ir embora. Para que o protejam, para que sintam falta.
Tanta vontade de viajar para bem longe, romper todos os laços, sem deixar endereço. Um dia mandará um cartão-postal, de algum lugar improvável.
Bali, Madagascar, Sumatra.
Escreverá: penso em você.
Deve ser bonito, mesmo melancólico, alguém que se foi pensar em você num lugar improvável como esse.
Você se comove com o que não acontece, você sente frio e medo.
Parado atrás da vidraça, olhando a chuva que, aos poucos começa a passar.”


[Caio F. Abreu]

25/04/2010

.




"Eu não sei onde foi que me perdi.
Sei que faz tempo e faz mal.
Sei das noites que a sensação de ausência me manteve desperta e sem vontade de qualquer coisa.
Eu me criei vazia e não soube preencher.
Mas sinto que ainda necessitando de distância e tempo pra pensar sozinha, eu quero mesmo é alguém que me faça mudar completamente de opinião.
Que faça meu corpo querer companhia nos momentos em que minha mente insiste pela solidão.
Que faça meu coração lutar contra minha razão que tanto toma conta de mim sem saber se é isso mesmo que eu quero.
Se nem eu sei o que quero."


[Verônica H.]


Dúvidas...
Incertezas...
E arrependimentos.

O coração da gente realmente parece um "outro ser", um outro alguém que não podemos controlar.
Se pudesse, se ele não fosse tão rebelde, tão "adolescente", seria tudo mais fácil.

Mas como diria Caio Fernando de Abreu,

"Claro que você não tem culpa, coração!
Caímos exatamente na mesma ratoeira.
A única diferença é que você pensa que pode escapar."


BeijO

20/04/2010

Um pouco de Quintana

Oi meus queridos..
Já havia escrito umas coisas para postar (estes dias não estão sendo muito bons para mim), mas resolvi deixar para depois.

Gosto bastante de poesias, de textos, de livros...
Amo uma boa leitura.
E um dos autores que gosto muito, é Mário Quintana.

Encontrei algumas coisinhas ele que me encantaram, e resolvi mostrar a vocês:




DO AMOROSO ESQUECIMENTO

Eu, agora - que desfecho!
Já nem penso mais em ti...
Mas será que nunca deixo
De lembrar que te esqueci?







DAS UTOPIAS

Se as coisas são inatingíveis... ora!
Não é motivo para não querê-las...
Que tristes os caminhos, se não fora
A presença distante das estrelas!







"Que haverá com a lua que sempre que a gente a olha é com o súbito espanto da primeira vez?"

Esta última...hmm! Perfeita, não?

beijO grande e abraço forte...

15/04/2010

Chuuuta!


Olhar perdido.
Olha e não vê.
Está voltado para dentro.

Ouvi uma frase que tomei para mim.
"Cada minuto que passa pode ser tudo que me resta para viver, mas desperdiço o tempo como se ele fosse infinito."

As pessoas vivem como se o mundo fosse acabar agora, neste instante.
Sei que corro o risco de perder a minha vida, de ter minha existência interrompida a qualquer momento, mas vivo não só o AGORA. Invisto no AMANHÃ.
Invisto no meu futuro.
Acredito na continuidade.
Se vivermos todos pensando que o mundo está para acabar a qualquer momento, tudo vira um caos e realmente acaba.

Percebo que ando cercada de pessoas assim...
Que não se preocupam com o que pode acontecer "depois", não se importam com consequências, e "consequentemente", não se importam muito (ou nada) com os outros.

Pessoas egoístas, egocêntricas.
Tem certas horas que me sinto como uma estranha no ninho.
Olho para os lados e tudo o que vejo são pessoas massificadas, produtos de uma sociedade do agora, do consumo, do desejo próprio, da falta de amor, da falta de respeito.

Pessoas estas que sofrem pelos seus erros, mas continuam cometendo os meeesmos erros, batendo na mesma tecla.
Uma sociedade que fala de inclusão, excluindo.
Que reclama de seus políticos corruptos, roubando, sendo como eles.
E continuando a (re)eleger corruptos.
Uma sociedade onde alguém que rouba para alimentar a família passa anos e anos atrás das grades, enquanto um político que rouba milhões do povo é solto em 2 meses.
Que um pedófilo com uma pena de 14 anos (e uma indicação de tratamento psicológico a ser feita - que não foi), é solto com 4 anos de pena cumprida por "bom comportamento" (óbvio..havia crianças e/ou adolescentes presos?) e então ele mata 6 jovens.
A culpa, para muitas pessoas, é dele. Alguns andam dizendo que ele é que deve ser "morto".
Mas não é o sistema que está TODO errado?

Gente que fala de Ética sem nem saber ao certo o que significa.
Fala-se de Direitos Humanos e não se pratica.

Falam do brasileiro como um povo feliz, alegre, festivo.
Sim, o é.
Mas sofre.
E muitas vezes sem lutar, sem mudar.
É PASSIVO.

E isso me revolta.
Me revolta também a hipocrisia.

Este texto pode estar parecendo uma bagunça para você, amigo(a) blogueiro/leitor (a).. Mas é que hoje estou tão angustiada que precisava "botar" algumas palavras pra fora. "Cuspir" algumas revoltas. rs.

Estou cansada... Cansada de algumas amizades, de amar sozinha, de quebrar a cara, de tanta hipocrisia, de tanta tragédia, de tanta roubalheira na política, de tanta violência, de tanta impunidade, de tanta futilidade...

Estou cansada até de mim mesma. Da minha imagem no espelho.

Viver neste mundo as vezes dá tanto trabalho!

12/04/2010

Tudo Passará



Todas as coisas, na Terra, passam…

Os dias de dificuldades, passarão…

Passarão também os dias de amargura e solidão…

As dores e as lágrimas passarão.


As frustrações que nos fazem chorar, um dia passarão.

A saudade do ser querido que está longe, passará.

Dias de tristeza… Dias de felicidade…

São lições necessárias que, na Terra, passam, deixando no espírito imortal as experiências acumuladas.

Se hoje, para nós, é um desses dias repletos de amargura, paremos um instante.

Elevemos o pensamento ao alto, e busquemos a voz suave da Mãe amorosa a nos dizer carinhosamente:

”Isso também passará… “

E guardemos a certeza, pelas próprias dificuldades já superadas, que não há mal que dure para sempre.

O planeta Terra, semelhante a enorme embarcação, às vezes parece que vai soçobrar diante das turbulências de gigantescas ondas.

Mas isso também passará, porque Jesus está no leme dessa Nau, e segue com o olhar sereno de quem guarda a certeza de que a agitação faz parte do roteiroevolutivo da humanidade, e que um dia também passará…

Assim, façamos a nossa parte o melhor que pudermos, sem esmorecimento, e confiemos em Deus, aproveitando cada segundo, cada minuto que, por certo…também passarão."



Emmanuel

(psicografado por Chico Xavier)

________________________________________________

Oi amores!
Este belo texto faz parte das muitas e muuuitas obras psicografadas pela figura ilustre de Francisco Cândido Xavier, o Chico Xavier.

Li uma vez um livro escrito por Marcel Souto que conta a história de Chico. O livro é entiulado "As vidas de Chico Xavier".
É belíssimo.
Agora saiu o filme, e parece que inclusive é inspirado neste livro.
Já estou marcando com as amigas um dia para ir assistir.

Eu, como uma pessoa que cresceu em meio a uma família "metade católica e metade espírita cardecista", vi de perto o universo desta doutrina.
Conheço um pouco.
Acredito mais ainda.
Sou sincretista, como já disse, e uma das minhas maiores crenças é no espiritismo, na reencarnação.
É a doutrina seguida por ele. Não vou dizer "pregada", porque o que ele realmente pregava mais era o "amor ao próximo".

Para quem acredita no espiritismo, sabe do grande mestre que ele é, da sua grandeza de espírito e de homem.
Para quem não acredita, ele foi/é no mínino, uma figura intrigante.

Escreveu coisas belíssimas, FEZ coisas belíssimas.

É mesmo admirável.

Vão logo ao cinema assistirem!
Ainda não sei do filme (depois conto se confirmei minha empolgação), mas se for como o livro, vocês irão gostar da história.

Recomendo o livro também para quem desejar saber da história toda.
É uma ótima e emocionante leitura.

BeijOs!


"Sonhos não morrem... Apenas adormecem na alma da gente."
(Chico Xavier)

um ps: que tragédia essa do Rio... Mais uma entre tantas..
Pois é, minha gente! Aqui não tem terremoto, não tem vulcão...
Mas em compensação... Nossa!
Como eu gostaria de estar ajudando aquelas pessoas...
É triste saber que muitas vezes tragédias acontecem por causa da ação do homem sobre a natureza e também por causa de abusos como aqueles (construir casas sobre um "lixão"?). É um descaso com o próprio ser humano.

Espero que Emmanuel esteja certo.
E "Tudo passará".

07/04/2010

"Um pesadelo'


Nesta madrugada, despertei de sobresalto.
pude ouvir a altura de meu coração aos disparos.
inspirei o ar frio e fundo da noite,
a procura de encher o peito de uma vida que me parecia ter abandonado.

Estava ofegante...
Suava frio e o corpo estremecia.
Sonho ruim ou pesadelo (como você achar melhor), é o motivo.

Em meu sonho, me vi ali, estática, pálida e gélida em um caixão.
Alguns rostos conhecidos desesperados, ensopados de lágrimas.
Muitos desconhecidos.

Sussurros.
Lamentos.

"Ela era tão jovem! Tão bonita!"
"Tinha tanta coisa para viver!"
"Descansou..."

E eu ali, em meu sonho, como se estivesse presente em meu próprio velório,
em tentativas inúteis de dizer às pessoas: "Mas o que houve? Eu não preciso descansar agora! Estou aqui!"

E andava por entre os que ali estavam a me "prestigiar" observando seus rostos.
Alguns me atrevi a acariciar... Tentei abraçar...Dar um beijo em suas faces.
Dizer do meu amor.
Mas a voz não saía.
Ou não era ouvida.

Procurei por tantas outras pessoas que eu gostaria que estivessem ali,mas não as encontrei.
Tentei inventar diversos motivos para isso, mas no fundo sabia que aquilo serviria para enganar a mim mesma.
Aquelas pessoas que eu procurava, simplesmente não se importaram.
Talvez passassem por ali, dessem uma olhada, um "tchau", e fossem embora.
E daí uns dias eu não seria nada mais que uma vaga lembrança em suas vidas.

Passado algum tempo, as pessoas se reuniram.
Me aproximei de meus pais e do meu corpo ali, naquele que seria "meu último leito".
Era a hora das ultimas orações.

Feito isso, o cortejo se encaminhou para o lugar onde meu "eu-corpo" seria colocado.
Chovia uma chuva quase que imperceptível, enquanto o sol do fim de tarde iluminava os rostos abatidos.
Flores foram jogadas..
Canções de despedida foram cantadas...
E o desespero tomou conta de algumas pessoas (até de algumas que eu não conhecia).
Aquela seria realmente a ultima vez que me veriam.
Era a despedida real.

Também me desesperei.
Gritei.
Sacudi minha mãe, esbofeteei meu pai, gritei com amigos...
Tudo em vão.
Tentei voltar para o que antes era meu corpo.
Não funcionou.
(seria até engraçado - se não assustasse tanto - se realmente funcionasse).

Eu não poderia morrer daquela forma.
Não havia dito tudo o que queria.
Não havia feito tudo o que gostaria.
Não havia amado o suficiente.
Não sabia nem mesmo o porque!

E então entendi...
Não existe porque.
A morte não avisa. Não espera.
Ela chega. Simplesmente chega.
Nem cedo, nem tarde.
Mas no momento que tem que chegar.
Quando a gente diz que ela chegou cedo, na verdade nós é que deixamos de viver muita coisa e de dizer muita coisa.
E aí, já é tarde.
Para alguns, acredito que ela vem quando estes já terminaram "sua missão".

Percebi que aquela hora era minha hora certa, mas também era um pouco tarde para algumas coisas.
E por isso desabei.
E junto comigo, a chuva.

As pessoas já haviam se despedido e ido para suas casas.
Até mesmo os coveiros já haviam terminado seu trabalho.
Eu estava sozinha, com algumas flores e coroas e uma chuva que caía de um céu agora cinza.
Apesar de ter constatado minha morte, sentia dores.
As dores da alma.
Rasgando meu peito.

Despenquei de joelhos no solo lamacento.
Pedi perdão.
Implorei que aquilo tudo fosse apenas um pesadelo, e acabasse logo.
Chorei desesperadamente...sussurrando: "Hoje não..por favor..não agora.."

E não sei ao certo o que foi o clarão que vi.
Sei somente que acordei da maneira como descrevi no início desta loucura toda.

Essa coisa toda me assustou bastante,
mas me lembrou o quanto preciso aproveitar o tempo ao lado daqueles que amo,
e prestar mais atenção àqueles que estão a minha volta.
Doar um pouco mais de mim. Um pouco mais de amor.
Dedicar o que puder para fazer a diferença na vida das pessoas.
Por pouco que possa parecer, farei minha parte.
Dizer eu te amo sem medo e sem vergonha.
Me desculpar...
Dizer que sinto saudades...(E que me lembro todos os dias).
Ajudar...
Sorrir...(e chorar tambem. A vida não é feita só de risos!) - e fazer sorrir!
Amar...
Viver.

Sim, eu já faço isso.
Mas talvez algumas coisas não faça com tanta frequencia como gostaria.
E não quero esperar minha hora chegar para perceber que poderia ter feito muito mais.


Como anda vivendo sua vida?

BeijO

02/04/2010

Mais um dia...


Não sei explicar ao certo, mas hoje é mais um daqueles dias em que acordo "down".
Não me sinto bem..
Me senti sufocada o dia todo.
Necessitando de um abraço longo e silencioso, ao mesmo tempo em que necessitava estar na minha solidão.
Derramei algumas lágrimas...
Conversei com Deus e comigo mesma.
Mas não me senti melhor por isso.

Não estou cabendo em mim mesma.
Nenhum lugar é lugar para mim.

Me fecho comigo e com minhas músicas (que expressam a forma como me sinto) como uma borboleta dentro de um casulo.
E deixo arder..
Deixo doer.. Sangrar.
Desabo. Desaguo.

Uma das músicas que mais amo e que estava ouvindo é "Wish you were here" - Pink floyd.

Acho até que já coloquei a letra dela aqui no blog...
Mas pelo sim e pelo não, a tradução é esta:

[Queria que Você Estivesse Aqui]
Então, então você acha que consegue distinguir
O céu do inferno
Céus azuis da dor
Você consegue distinguir um campo verde
de um frio trilho de aço?
Um sorriso de um véu?
Você acha que consegue distinguir?

Fizeram você trocar
Seus heróis por fantasmas?
Cinzas quentes por árvores?
Ar quente por uma brisa fria?
Conforto frio por mudança?
Você trocou
Uma pequena participação na guerra
Por um papel principal numa cela?

Como eu queria
Como eu queria que você estivesse aqui
Somos apenas duas almas perdidas
Nadando num aquário
Ano após ano
Correndo sobre o mesmo velho chão
O que encontramos?
Os mesmos velhos medos
Queria que você estivesse aqui.
"


____________________________________________________

Bom, domingo é Páscoa né gente?
Eu não ligo muito pra esse ritual de "ganhar ovos de páscoa"..
Claro que como uma chocólatra, sempre gosto de chocolate, mas não me esqueço do real significado da Páscoa e peço que vocês também não se esqueçam.
Não só no sentido religioso, mas para nossas vidas.
Renascimento.
Renovação.

Boa páscoa para todos!
BeijO