06/11/2009

O que você faz de si?



Desculpem os sumiços! Tem gente que anda até me cobrando pra eu postar logo, mas é que fim de semestre de faculdade é pesado!
Nossa! E pra completar eu ainda estou com aquele probleminha com minha net e meu pc...aff!


Bom, mas hoje quero falar sobre um assunto que discutimos dia desses em sala.
Conversamos sobre Jean-Paul Sartre, um filósofo francês que é meio que conhecido como o representante do Existencialismo.
Lemos algumas coisas que ele disse, e dessas umas me fizeram pensar sobre algumas coisas...
Sartre dizia que "O homem nada mais é do que aquilo que ele faz de si mesmo."
Frase forte, não?
São nossas atitudes, pensamentos, comportamentos que determinam o que somos.
Muitas pessoas se importam demais com o que as pessoas falam ou pensam, mas o que realmente importa é o que você faz de você. Você é responsável por toda a sua existência.
Me lembrei do que o professor costuma dizer pra gente de vez em quando: "Há sempre um ponto de ônibus perto de onde você está."
O que eu entendo disso é que se você não está satisfeito com sua situação, "pega o ônibus"! Muda! Só depende de você... Nós temos um leque de oportunidades e não precisamos ficar presos a padrões ou sermos como os outros querem que sejamos só para satisfazê-los.
Se não estamos felizes, por que não mudar?
Somos livres! E sendo livres, podemos fazer nossas escolhas.
E falando em escolhas, mais uma das falas de Sartre que me chamou atenção foi essa:
"A escolha é possível, em certo sentido, porém o que não é possível é não escolher. Eu posso sempre escolher, mas devo estar ciente de que, se não escolher, mesmo assim estarei escolhendo."
Complexo, não?
É difícil fazer escolhas com tantas opções que temos.
Temos medo de estar "escolhendo errado" ou de que a outra opção fosse melhor.
Porém, como saber se não tentar? A gente acaba perdendo muitas oportunidades, muitas chances pelo simples medo de não tentar.
E é muito melhor se arrepender de ter tentado do que viver para sempre com aquela pulguinha atrás da orelha, aquele sentimento de dúvida, pensando em como seria se não tivéssemos deixado esse medo nos dominar.

Então, seja senhor(a) de si, ator/atriz principal, diretor(a) e escritor(a) de sua história tendo a liberdade de mudar quando sentir necessidade.
Não se prenda. Seja livre.
Tente.

Por hoje, paro por aqui.
Se cuidem!
Beijo enorme...

3 comentários:

Marcos disse...

Ela postoou!
hhUHSUHUAHuhaUHhsuhUHuhsuhUHUAHSUhAa..
Finalmente né dona Rah!
Tava com saudades!
Gostei muito do assunto de hoje.
Talvez seja isso que eu precisava ouvir(ler).
Você sempre tem as palavras certas nas horas certas, né?
Te adoro..
Beijo, linda!

Marina disse...

Senhora de mim...
Gostei disso!

Beijão, amiga!

se cuida

Branco disse...

Brancoooo xD