22/03/2010

Uma noite. Um sonho.


"Precisei de jogar muita água fria no rosto para perceber que aquilo havia mesmo acontecido.
Eu havia adormecido ao seu lado.
Quando acordei, senti sua respiração leve em minha nuca.
Olhei em volta procurando entender onde estava. Me levantei e vi você ali, dormindo "como um anjo".
Lavei o rosto sem coragem para me encarar e voltei para ver de novo aquela cena. Era real.
E eu disse para mim mesma em um tom audível: "você não deveria estar aqui."

Tomei um banho fazendo o mínimo barulho possível.
Não queria que você percebesse "minha presença".

Foi então que comecei a recordar de toda a noite passada: Conversamos, rimos, bebemos... (E como!)
Você me levou a lugares lindos...
A lua estava cheia e foi maravilhoso ver a cidade adormecendo, se apagando... Restando somente a luz do luar.
Você me disse coisas lindas... Fez mil promessas...
Me levou para seu apartamento, e para o resto não foi preciso palavras.
Bastou a troca de olhares, beijos e calor.

Estava parada na porta olhando para você quando me lembrei de tudo. Sorri...
E mais uma vez, lembrei e repreendi a mim mesma: "você não deveria estar aqui".

Comecei a me vestir lentamente. Sentada à beira da cama, num desejo disfarçado de que você despertasse
e me puxasse de volta para aqueles lençóis onde nos amamos a noite inteira, e nos amaríamos novamente...
Mas você não despertou. E não me puxou. E não me amou de novo.
Em um silêncio ensurdecedor, juntei minhas coisas.
Atrevi-me a te dar um último beijo. Um leve toque de lábios com um sussurrar de "bom dia" acompanhado de um "adeus".
Saí pensando: "Sará que ele se lembrará? Ou será que pensará ter sido apenas um sonho? Talvez ele me ligue...Talvez tudo o que disse seja verdade."

No espelho do elevador minha imagem refletida me encarava parecendo me culpar, me condenar, ao mesmo tempo em que sentia pena de mim.
Quão tola fui eu. Que ilusão...
Desliguei o celular. Desliguei-me do mundo.

Coloquei o som do carro no volume máximo. As músicas que tocavam pareciam ser exatamente feitas para me fazer chorar, para me sentir culpada.
Culpada por estar naquela situação. Por me sentir daquele jeito.
Peguei estrada... Precisava correr. Precisava gritar.

"Sua burra! Você queria o quê? Você achava que as coisas mudariam? Que tudo seria como um sonho? Sabe como é! Sempre soube.
Você gosta. Você merece. Não tem jeito mesmo... Não sabe dizer não. Não aprende. Agora ta aí... Se sentindo um lixo. Não, você não é um lixo.
Você é muito melhor que isso. Mas se deixa tratar como coisa qualquer. Cadê o seu amor? Ficou naqueles copos de vodka? E as lágrimas que
já derramou? Engoliu junto com tudo que bebeu ontem? Dê um basta. Você pode."

Não sei por quanto tempo dirigi...Nem até onde fui...
Na volta, quando me senti melhor, resolvi parar para assitir ao pôr-do-sol.
Acendi um cigarro, encostada no carro.
Havia somente eu, meu cigarro, e o sol "morrendo" no horizonte.

Ele nunca mais me procurou. Nem eu a ele. Não tive mais notícias.

Algo de mim morreu naquele dia, como aquele sol no horizonte.
E algo nasceu no lugar.
Ainda não sei bem o que é.
Mas o que é novo sempre tem cara de coisa boa.
E cheiro de esperança."
_____________________________________________________
[Ouvindo: Wish you were here - Pink Floyd]

11 comentários:

Daniele disse...

Não, você não é um lixo.
Você é muito melhor que isso. Mas se deixa tratar como coisa qualquer. Cadê o seu amor? Ficou naqueles copos de vodka? E as lágrimas que
já derramou? Engoliu junto com tudo que bebeu ontem? Dê um basta. Você pode (2)


E akii.. eh quem eu to pensando?


Fica assim nao.. vc tbm aproveitou.. ou n?
e vc tbm n ligou, fez a msma coisa q ele.. n se culpe..

s2

serpai disse...

siempre algo es rescatablñe aunque sea de una noche...o un sueño...!!

te dejo saludos



SERGIO

Desabafando disse...

Não fique se sentindo assim! Foi bom enquanto durou não?

RaH disse...

Queridos...
Não...isso não aconteceu realmente.
Algumas coisas sim, acontecem "as vezes".
Nem tudo aí foi sonho.
Mas nem tudo foi real.
Tem muito de mim nessa mulher.
E esse homem existe.
Mas essa noite não aconteceu realmente.
Pelo menos não dessa forma.
Será que deu para entender?
rs..
BeijOs!

Déia disse...

Uau.

É duro aceitar aquilo que ja sabíamos faz tempo, mas precisávamos da última tentativa.

O ponto final chegou.. levante a cabeça e va ser feliz!

bj

Dil Santos disse...

Rah, tu tá bem?
Menina, muito massa. Eu já passei por uma dessas e sei exatamente como é isso. Mas são água passadas e erros que não pretendo cometer novamente.
Ah menina, assim, eu vivo escrevendo, nos últimos meses descobri esse novo talento em mim, kkkkkkkkkkk
Mas pode deixar q na próxima eu coloco a letra tbm. Eu sempre canto no banheiro, hahahaha
Minha voz tbm ñ é assim tão linda né? kkkkkkkkkkk
E eu tbm tô louco pra aprender a tocar algum instrumento, meu irmão q toca vários, tá me enrolando pra me ensinar hahahaha
Bjo
:)

Luciana Klopper disse...

Quanta profundidade, ainda bem q vi q nem tudo foi real...espero que o bom tenha sido!

Enrique Coimbra disse...

Acho que, além do texto ser MARA, você o fechou MUUUUITO bem, o que considero FUNDAMENTAL.

"Algo de mim morreu naquele dia, como aquele sol no horizonte.
E algo nasceu no lugar."

Amei ♥
Que bom que curtiu o videopost *-* Mais no mês que vem.

[ rod ] ® disse...

Tem dias que a realidade sonha e noutros os sonhos acordam reais.
É a mágica da vida!

Moça vim convidar-lhe a ler-me em um blog que contribuo sempre às quintas.

O Confraria dos Trouxas...

Acho que gostará.



http://confrariadostrouxas.blogspot.com/2010/03/louco.html

Desabafando disse...

Acho qeu com seu comentário as coisas ficaram um pouco mais claras mas espero que vc esteja bem e não triste!

E obrigada por compartilhar um pouco de sua história comigo. Através do seu comentário me senti menos sozinha! Acho que vc tb entendeu bem o sentimento que quis expressar naquele post mas vamos levando né?

Déia disse...

Bom fds!

bj