10/11/2010

Haja paciência...




Cansam-me as pessoas rancorosas.
Pessoas que se magoam por qualquer coisinha,
por pequeninos atos muitas vezes cometidos sem intenção,
pessoas que tomam as dores dos outros como se fossem suas de uma forma tão dramática!

Pessoas que não sabem pedir desculpas ou perdão,
e nem conseguem desculpar/perdoar.

Esquecer o que o outro nos faz, talvez a gente nunca esqueça realmente.

Mas viver remoendo mágoas faz mal à saúde, ao coração, à alma.

A vida da gente é tão curta...

Por que deixar picuinhas afastar pessoas que amamos tanto?
Ou mesmo que tais coisas ou tais pessoas tenham realmente nos feito mal,
por que fazer disso o mal da nossa existência?
Por que desejar o mal destas pessoas?

O pior, é que a gente sente vontade de esquecer tudo, de deixar o que passou no passado, mas o orgulho não deixa.

E se cedemos ao orgulho e ao rancor, corremos o risco de o tempo passar demais,
e aí, ser realmente tarde demais para qualquer arrependimento.

Dizem que amizade é como um cristal, que quando se quebra, por mais que a gente tente juntar os cacos, nunca mais é igual.

Não deixe o tempo passar...
Não deixe as mágoas, os ressentimentos, as pequenas "briguinhas" ou conversas fiadas apagarem todas as coisas boas que já aconteceram.

A amizade é nosso bem mais precioso.

"Guardar ressentimento é como tomar veneno e esperar que a outra pessoa morra."
[William Shakespeare]

________________________________
Estou passando por uma situação parecida, eu e uma amiga, com uma amiga em comum, que na verdade se tornou amiga minha há pouco tempo. Já da minha amiga, já tem alguns anos.
Mas que simplesmente se "magoou", ficou com raiva, vira a cara pra nós, por coisas bobas... Ou nem tão bobas assim, mas ela é uma mulher de mais de 40 anos, com filhos criados, e que está agindo como uma adolescentezinha.
Não teve nem mesmo a capacidade de nos procurar para conversar.
E se nós procuramos, se tentamos ao menos puxar papo, nos destrata, dá "tiradas".
rs...

Situação horrível.
Não estou suportando mais, até porque, ficamos as duas meio que excluídas da "turma" que sempre sai junto com ela, ou se reúne na casa dela ou se senta com ela na mesa do barzinho que frequentamos.

Mas estou cansada disso.
Não vou ficar implorando por alguém que não se importa com minha amizade, não é?
Eu quis conversar, tentei...
Mas dizem que quando ela quiser ela mesma procura.

Paciência!
¬¬º

6 comentários:

KM/Shinma/Mauricio disse...

Nossa Rah, que atitude mais infantil dessa pessoa... eu aprendi que não preciso ter ressentimentos pelas pessoas mesmo... quero mais ser amigo e ter uma amizade com elas... se for pra ter algo mais, tudo bem, se acabou terminando, vamos deixar pelo menos um ponto de "amizade", claro que não será aqueeeeela coisa, mas pra que ficar remoendo algo... é perda de tempo e todos saem machucados! Logo, melhor mesmo ser "feliz com a vida".

E é verdade, você tentou, ela não aceitou? Coloca um, literalmente "foda-se" e deixa ela te procurar se quiser, mas como tenho em mente que ela seja orgulhosa [desculpa a minha pre-definição dela] então capaz de ela mesma se remoer até algum dia resolver falar, mas puxa, ter 40 anos e agir assim, incrível...

Mas nem tão incrível, eu daria um exemplo mas às vezes é melhor guardar... se ela agi assim sempre então... nunca mudará.

Bjos e abraços!

Desabafando disse...

Complicado isso, esse tipo de atitude de uma pessoa que vc espera uma postura mais madura até pela idade né? Mas se ela não se importa com a amizade, deixe pra lá, quem está perdendo é ela!

Andressa Keka disse...

rancor é o começo do câncer da alma.
prefiro ser livre de sentimentos e desapegada, sofre-se menos.
você tá bem flor?
como foi com os trabalhos?
beijocas!

Déia disse...

Nossa!! To vivendo algo exatamente igual... e me irrita também a falta de perdão...

bj

Jackie disse...

oii! conheço seu blog há um tempo já, amo seus posts. decidir criar um blog tbm, se quiser me visitar, será bem vinda... coisasdejacke.blogspot.com

Andressa Keka disse...

selinho pra você
http://andressattb.blogspot.com/2010/10/selos.html