29/03/2011

Palavras que talvez nunca sejam ditas.



Você me confunde com suas palavras e suas atitudes...
As vezes não sei o que dizer ou como devo agir com você.
Não posso negar que tem sido tudo muito bom, e que estou mais alegre, mais feliz talvez, desde o momento em que você passou a fazer parte da minha vida.
Mas todas estas dúvidas me angustiam.
Tem coisas que eu gostaria de dizer, mas não sei da sua reação.
Ou melhor, eu imagino que não seria como eu realmente gostaria.
Por enquanto tem sido bom, estou "satisfeita" e conseguindo deixar as coisas rolarem com uma certa paciência. E esperança, talvez...
Mas sinceramente, não sei até quando posso e até onde isso vai.
Não posso, não consigo viver sempre nessa situação.

Eu gosto tanto de você, e você sabe bem disso.
Sempre deixei claro.
E acredito que tenho demonstrado.
E percebo de você uma reciprocidade.
Mas ao mesmo tempo, não sei, mas acho que seja esse teu medo...
Que não sei ao certo de quê.
Você acaba sendo um mistério pra mim.
Eu tento, estou tentando, e tentarei sim desvendar.
Mas até quando?
Até quanto posso me prender a você, me permitir gostar tanto de você, fechar o meu coração para outras pessoas, se eu não sei o que esperar de você?

Pode parecer egoísmo...
Mas é o que sinto.
Não quero me doar tanto mais, não quero me doer.
Eu preciso de uma relação a dois, uma reciprocidade mesmo, via de mão dupla.
Tenha certeza que tenho muuuuito pra te dar e pra te fazer feliz sim.

Mas isso, só se você deixar.

Espero que leia isto... E entenda.
_______________________________

Um comentário:

Dil Santos disse...

Rah minha linda, tudo bem?
Menina, não é egoísmo de forma. Não podemos nos doar tanto e nem se quer termos um retorno em relação a sentimentos, expectativas. Uma relação é a feita a 2. Ai menina, tava com saudade de tu, rs.
Um bjo